Placa de Rede da Tecnobytes – Review (parte 2)

Dando continuidades aos testes, resolvi medir a performance da transmissão de dados entre o compartilhamento de arquivos e FTP. Seguem abaixo os resultados:

FTP

Arquivos utilizados: Imagem do jogo F-1 Spirit 3D Special (3 imagens no total)

Tamanho do arquivo: 720kb

Upload (PC para MSX)

Tempo de transmissão

  • Disco 1: 1m 59s
  • Disco 2: 1m 48s
  • Disco 3: 1m 46s
  • Total: 5m 55s
Velocidade
  • Média: 7 kb/s
  • Variação entre 5 e 9 kb/s

Download (MSX para PC)

Tempo de transmissão

  • Disco 1: 6m 26s
  • Disco 2: 6m 29s
  • Disco 3: 6m 35s
  • Total: 19m 5s
Velocidade
  • Média: 1,83 kb/s
  • Variação entre 1.75 e 1.92 kb/s

COMPARTILHAMENTO DE ARQUIVOS (OBSOSMB)

Arquivos utilizado: Imagem do jogo F-1 Spirit 3D Special (3 imagens no total)

Tamanho do disco: 720kb

Upload (PC para MSX)

Tempo de transmissão

  • Disco 1: 3m 25s
  • Disco 2: 3m 27s
  • Disco 3: 3m 22s
  • Total: 10m 23s
Velocidade:
  • Média: 1,25 kb/s
  • Variação entre 436 b/s a 1,98 kb/s

Download (MSX para PC)

Tempo de transmissão

  • Disco 1: 5m 20s
  • Disco 2: 5m 25s
  • Disco 3 :5m 27s
  • Total: 16m 25s
Velocidade
  • Média: 2,2 kb/s
  • Variação entre 436 b/s a 2,51 kb/s

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

O upload de arquivos se mostrou mais rápido no FTP, porém o download teve melhor performance no compartilhamento de arquivos. As velocidades de upload, em ambos os casos, foram superiores as de download

 

As taxas de transmissão foram informadas pelo Windows.

 

O compartilhamento de arquivos apresentou os seguintes problemas / limitações:
 

  • Não tem compatibilidade com clientes Samba.
  • A criação de uma nova pasta no MSX deve ser feita no prompt de comandos e não na interface gráfica. O Windows cria automaticamente uma nova pasta com o nome New folder (ou nova pasta), o qual não é um nome válido para o MSX-DOS.
  • Ao tentar apagar um arquivo read only no MSX ou com o disco protegido contra gravação, o arquivo some da janela de visualização, porém permanece no disco sem ser apresentada uma mensagem de erro.
  • Mensagens de erro do tipo “Directory dos not exist”, “Invalid parameter” ou “Remote procedure call failed” aparecem de vez em quando durante o processo de manipulação de arquivos do MSX, devido ao time-out na conexão. É necessário reiniciar a conexão para reestabelecer o funcionamento normal.

 

Vale ressaltar que os problemas / limitações descritos acima são do projeto original da placa e dos softwares desenvolvidos pelo Konaniman, e não da implementação da Tecnobytes.

 

Ambiente de testes:

 

MSX: Turbo-R A1-ST 512 Mapper, ATA-IDE com 512 Mapper Tecnobytes, Placa de Rede Tecnobytes, MSX-DOS2.sys 2.32 / command2.com v2.44
PC: Core 2 Quad 2.4 Ghz, 4Gb Ram, Windows 7.
Rede: Roteador Dlink DIR-600 (conectado via cabo no MSX e PC).

 

Até o próximo post.
Esta entrada foi publicada em MSX com as tags , , , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Placa de Rede da Tecnobytes – Review (parte 2)

  1. Pingback: Episódio 19 – Parte B – Periféricos novos para micros clássicos | Retrocomputaria

  2. Beto,

    Parabéns! Excelente review.

    Abs,
    Daniel

Os comentários estão fechados