Placa de Rede da Tecnobytes – Review

Acaba de chegar nas minhas mãos a placa de rede produzida pelo Ricardo Oazem, da Tecnobytes. Ela foi desenvolvida seguindo o modelo da Obsonet (produzida por Daniel Berdugo) para ser compatível com o TCP/IP e os aplicativos desenvolvidos por Nestorman (http://www.konamiman.com). Nesse post vamos descrever os primeiros testes com a placa, tais como conectar uma rede local e a um servidor FTP remoto, além de compartilhar arquivos com um PC. Todos os programas descritos neste post podem ser baixados no site do Konaniman (http://www.konamiman.com).

CONECTANDO O MSX À INTERNET

Antes de mais nada, seu MSX deverá estar ligado a uma rede local através de um cabo de rede conectado a um roteador. O primeiro passo é executar o Unapi Ram Helper. Sua sintaxe é:

RAMHELPR I

Ele instalará apenas se ainda não houver sido instalado anteriormente. Caso você utilize o parâmetro F, ele forçará a instalação em qualquer situação.
O próximo passo é rodar o Internestor Lite for Ethernet, que permitirá você utilizar todos os serviços de internet, tais como e-mail, twitter, ftp, telnet, dentre outros. Existe uma versão dele para interfaces RS232. A sintaxe dele é descrita abaixo:

INL I

Por default, ele já vem com o DHCP habilitado. Caso você deseje configurar sua rede manualmente, deverá utilizar os parâmetros abaixo:

INL D – 0 (desabilita o DHCP) / 63 (habilita o DHCP)
INL IP L (endereço IP local fixo)
INL IP M (máscara de sub-rede)
INL IP G (gateway padrão da rede)
INL IP P (controlador primário de domínio)
INL IP S (comtrolador secundário de domínio)
INL S (exibe a configuração atual)

Caso você queira ver a sintaxe dos parâmetros, basta digitar INL S.

Para verificar se funcionou, basta “pingar” um endereço IP válido (tente o seu gateway padrão – endereço do roteador).

PING XXX.XXX.XXX.XXX

Caso não tenha funcionado, certifique-se que o seu firewall esteja devidamente configurado para liberar o IP do MSX.

UTILIZADO UM FTP CLIENT

Caso os passos anteriores tenham sido bem sucedidos, já estamos prontos para acessar a internet. Vamos começar conectando a um servidor FTP (nesse caso o KonKom). Esse site tem diversos programas de MSX para download. Utilize o comando abaixo para fazer a conexão.

FTP ftp.komkon.org

Será solicitado o login e senha de acesso, mas como o site é de acesso público, pode dar RETURN e passar batido. Esse programa é baseado em uma interface de texto, logo tudo tem que ser feito por comandos. Para ter acesso a lista de comandos, basta digitar HELP. Para saber se você está conectado, digite o comando DIR. Você deverá ver a árvore de arquivos do servidor parecida com a imagem abaixo.

TRANSFORMANDO O MSX EM UM SERVIDOR FTP 

Para isso iremos utilizar o utilitário OBSOFTP. Você poderá enviar e receber arquivos de qualquer computador que estiver rodando um cliente FTP utilizando TCP/IP. A sua configuração é descrita abaixo:

OBSOFTP <base path>, mode=rw|ro, debug=on   onde:

basepath – Diretório a partir do qual o cliente FTP irá enxergar os arquivos (será o seu root)

mode=rw|ro / rw (leitura / escrita) – default / ro (somente leitura)

debug=on – Exibirá todas os comandos enviados e recebidos pelo cliente.

O software apresenta algumas limitações, tais como não possuir autenticação (apenas acesso anônimo) e permitir apenas um cliente conectado por vez. Após 5 minutos de inatividade, a conexão é derrubada automaticamente.

Apesar disso, é uma forma muito rápida de trocar arquivos com o seu PC.

Para encerrar a conexão, basta teclar CONTROL+C, CONTROL+STOP ou ESC.

COMPARTILHANDO ARQUIVOS COM O PC

Dessa vez utilizaremos o programa OBSOSMB, que permite compartilhar as unidades de disco para serem acessadas pelo PC. A sua sintaxe é simples:

OBSOSMB <drives>|ALL [mode=(rw/ro), onde:

drives: Unidades de drives que serão enxergadas no PC (se não especificadas, todas serão compartilhadas – parâmetro ALL).

mode rw (default): leitura e escrita

mode ro: somente leitura.

Durante o compartilhamento, o MSX não poderá ser utilizado. Serão exibidas mensagens na tela das operações realizadas no PC, conforme mostrado na tela abaixo:

Para encerrar a conexão, basta teclar CONTROL+C, CONTROL+STOP ou ESC.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Essa placa é uma ótima solução para compartilhar arquivos entre o PC e o MSX, além de permitir baixar as imagens dos programas da internet através de FTP,  evitando que você tenha que ficar movimentando o seu CF entre os dois computadores .

Eu ainda farei mais testes de performance para verificar a velocidade de transmissão com maiores quantidades de dados. Os testes iniciais mostraram uma boa performance, porém a conexão caia com alguma frequência. Testarei também outros aplicativos disponibilizados no site do Konamiman. O legal é que ele disponibiliza o código-fonte de todos os programas, o que vai permitir que em breve o desenvolvimento de novos aplicativos para acesso a internet e redes locais.

Os resultados dos testes serão publicados aqui em breve.

Até o próximo post.

Esta entrada foi publicada em MSX com as tags , , , , , , . ligação permanente.

3 Respostas a Placa de Rede da Tecnobytes – Review

  1. Pingback: Episódio 19 – Parte B – Periféricos novos para micros clássicos | Retrocomputaria

  2. Antoniutti diz:

    Legal o review!
    Você diz que a conexão cai com frequencia, isso em qualquer um dos aplicativos? Qual o MSX utilizado pro teste?
    O Oazem manteve o jumper para ativar IRQ?

    • beto30 diz:

      Antoniutti.

      A placa não tem jumper. Todas as configurações são feitas via software. O problema da queda da conexão ocorre somente no compartilhamento de arquivos (OBSOSMB). Mas esse problema já é descrito pelo desenvolvedor do aplicativo no seu manual, não tem haver com o projeto do Oazem. Utilizei um TR A1ST com 512 de Mapper com uma interface IDE também com 512 de Mapper do próprio Oazem. O compartilhamento foi feito com um PC rodando o Windows 7. O transferência de arquivos através do FTP se mostrou bem mais estável e rápida que o compartilhamento. No próximo post vou descrever as taxas e tempo de transferência de cada um deles. A placa é realmente boa, vale a pena ter uma.

Os comentários estão fechados