Amiga A1200c – parte 2 – A amputação

Era 5 de Dezembro de 2012, e eu já tinha uma placa funcionando com a ACA 1232. Ela ainda tinha o defeito de não funcionar com o processador original. Só funciona com uma aceleradora conectada. Mas já que eu iria usar com uma aceleradora mesmo, quem se importa? Todo o resto parecia funcionar perfeitamente. Legal! Já dava pra pensar em como fazer a placa caber no gabinete do A600. Já que seria uma solução extrema, era importante ter a certeza de que a placa não tinha outros problemas antes de partir pra ignorância!

Olhando a placa do A1200 e comparando-a com uma placa de A600, do conector da fonte até o conector do floppy externo, tudo é “igual”. Digo, os conectores são os mesmos, com o mesmo espaçamento. No A1200, “sobram” as portas de mouse e joystick.

Na parte de cima da placa do A1200 não há muitos componentes nessa região. Mas por baixo há vários resistores e capacitores. De qualquer forma, esses componentes são todos parte do circuito dessas duas portas mesmo, e também há alguns poucos componentes responsáveis pelo circuito dos LEDs. Esses circuitos são simples, e podem ser “refeitos” separadamente.

Mas e quanto às camadas mais internas da placa? Será que há trilhas de outros circuitos importantes passando nessa região? Bom, só há um jeito de saber!

Eu precisava cortar a placa logo depois do conector de floppy externo, para que ela ficasse da mesma largura da placa do A600, e assim coubesse no gabinete. Mas antes, eu tinha que remover os componentes dessa região. Eu tinha a intenção de usá-los em outra placa, ou sei lá de que maneira, pra recompor o circuito. Também precisava marcar onde faria o corte:

Componentes removidos da parte superior, incluindo o conector de joystick

Componentes removidos da parte superior, incluindo o conector de joystick

Componentes removidos da parte inferior, somente na região do corte

Componentes removidos da parte inferior, somente na região do corte

Marca do corte na parte superior

Marca do corte na parte superior

Marca do corte na parte inferior

Marca do corte na parte inferior

 

Maravilha! Agora é só cortar!

Eu ainda estava reticente. Pensei bem, conferi tudo. Cheguei a pensar em desistir… mentira! Vamos parar com a palhaçada! Corta logo isso! 😀

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=W5fdK8F8Ayk&w=640&h=480]

Dei uma lixada pra tirar as poucas rebarbas. Vamos ver se cabe no case!

E cabe! Mas funciona?

E cabe! Mas funciona?

Ainda faltava cortar o case, porque as guias de plástico que seguram a expansão de chipram do A600 não deixavam a placa assentar. Mas isso eu fiz em 5 minutos. Galho fraco!

Antes de cortar essa placa, eu já tinha dado uma olhada pro lado, onde estava a placa de A600 que “não servia pra nada”. De repente, me ocorreu que eu poderia aproveitar pra cortar também a parte dessa placa onde ficavam os conectores de mouse e joystick. Afinal, eu já teria tudo no formato certo pra encaixar no gabinete. Isso seria perfeito e muito menos trabalhoso do que fazer uma placa do zero!

Medi uma placa sobre a outra, e dava pra cortar de forma que coubessem as duas “partes” de placa no gabinete.

Então vamos cortar essa também:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=6Oca_LFHqD8&w=640&h=480]

Dei uma lixada nessa parte também, pra remover as rebarbas, verifiquei tudo, e parecia tudo certo. Vamos ver se ela cabe junto com a outra no case:

Ambas as placas colocadas. Fisicamente, tudo indo bem!

Ambas as placas colocadas. Fisicamente, tudo indo bem!

Pronto, chega do massacre da Dremel elétrica. Vamos de volta pra bancada, porque tem muita solda pra fazer agora!

A primeira coisa a fazer era testar a placa do A1200 depois do corte, pra ver se ele ainda dava boot. Instalei as ROMs, medi pontos onde deveria ter as fontes principais, se não tinha curto pro GND. Tudo certo. Liguei. Funcionou! E deu boot no HD (depois de um reset com meu super botão)! :-)

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=a6j5cckElbw8&w=640&h=480]

Eu ainda precisava plugar um mouse e um joystick pra testar tudo mesmo.

Comparei datasheets e os esquemas do A600 e do A1200, e cheguei à conclusão que não poderia usar o multiplexador do A600 para os sinais de mouse e joystick. Teria que usar o componente original do A1200 mesmo. A plaquinha que veio do A600 tinha o espaço certo pra ele. Mesmo número de pinos, mas ligações um pouco diferentes. Então decidi cortar trilhas e refazer com fio de cobre esmaltado, pra que pudesse fazer a soldagem mais “clean” possível do novo chip.

Componentes removidos para as modificações na placa

Componentes removidos para as modificações na placa

Aproveitei pra remover também os conectores, porque eles estavam muito enferrujados. Eu tinha outros melhores pra colocar no lugar.

Várias trilhas modificadas

Várias trilhas modificadas

Multiplexador do A1200 instalado, com as ligações refeitas. Não ficou bonito, mas eletricamente está legal

Multiplexador do A1200 instalado, com as ligações refeitas. Não ficou bonito, mas eletricamente está legal

É, eu tinha uma ideia bem mais “clean” do que isso pro resultado, mas foi o melhor que deu pra fazer naquele momento.

Já estava tudo ligado corretamente, mas eu ainda tinha que conectar essa placa à placa do A1200. Essa parte é que era difícil! Várias ligações, e eu ainda tinha que identificar os pontos de conexão na placa do A1200, que agora estava “desfigurada” e bem mais difícil de encontrar esses pontos.

Com muita calma fui fazendo as conexões, primeiro com um cabo de floppy mesmo. Era o que eu tinha à mão. Eu não tenho fotos dessa etapa, mas tem um vídeo. Notem que nessa época eu ainda pretendia chamar esse micro de A1800:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=73Sr1jIrElA&w=640&h=480]

Esse momento foi sensacional! Eu tinha ido muito além da minha meta pro fim de 2012, e ainda era dia 5 de Dezembro! Eu estava de férias, e tinha um tempinho pra mais coisas. Mas eu não conseguia parar de sorrir, e brincar com o micro! 😀

Então por mais alguns dias eu fiquei nessa, de brincar e curtir o brinquedinho.

Agora eu tinha dois problemas. O primeiro era melhorar aquela aranha gambiarrítica de fios que interligava as duas placas. Achei que a melhor solução por hora seria substituir os fios que eu usei por fio esmaltado bem fino, e um fio esmaltado um pouco mais grosso na parte de alimentação. A foto abaixo foi tirada com um celular sob pouca luz, então está horrível, mas ilustra a ideia:

Interligação das placas com fio esmaltado. Ficou mais organizado. Há mais ligações por baixo, mas não tenho fotos. As de baixo interligam alguns pontos nas portas de joystick e mouse, e os LEDs

Interligação das placas com fio esmaltado. Ficou mais organizado. Há mais ligações por baixo, mas não tenho fotos. As de baixo interligam alguns pontos nas portas de joystick e mouse, e os LEDs

Aproveitei que estava mantendo a blindagem inferior, e parafusei os conectores de joystick e mouse nela, como é usado no A600. Mas eu coloquei os 4 parafusos pra dar maior firmeza, e coloquei também um parafuso no furo destinado a prender o suporte/apoio do drive de disquetes. Assim eu podia inserir e remover joysticks e mouse sem me preocupar.

Ainda era um pouco difícil colocar e remover a placa no case, assim como acontece com a placa original do A600. Mas com o mesmo jeitinho tudo encaixou perfeitamente!

Agora precisava lidar com o outro problema. Como colocar a aceleradora nessa coisa?

O restante de Dezembro foi praticamente dedicado a isso. Eu tentei várias ideias, a maioria bem bizarra! No fim encontrei uma solução que não era exatamente o que eu queria, mas funciona.

Falaremos mais disso no próximo post!

Abraços!

Esta entrada foi publicada em Amiga com as tags , , , , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Amiga A1200c – parte 2 – A amputação

  1. Caraca Mugo, que sangue frio pra cortar essa placa mãe!!!! chega dar uma coisa na barriga !kkkkkkk

Os comentários estão fechados