Codimex CD-6809: A tríade agora está completa!

Pessoal,

Finalmente tenho o prazer de comunicar que agora completei a minha coleção de Color Computers nacionais com a recente aquisição do último que faltava, o Codimex CD-6809. Assim, a tríade dos raros clones nacionais de TRS Color está completa. 😀

A tríade está completa! :-D

A história…

O CD-6809 foi o primeiro dos clones de TRS Color fabricados aqui no Brasil, mais especificamente em Porto Alegre-RS. Ele é baseado no esquema original do TRS-80 Color Computer da Tandy. Para quem quiser maiores informações sobre a história desse micro e da própria empresa Codimex, deixo aqui o link para a excelente entrevista que eu fiz para a revista Jogos80 com o Sr. Davi Menda, sócio-fundador e idealizador da Codimex.

Codimex CD-6809

A história da compra desse micro foi um tanto quanto inusitada. Um belo dia, por volta de 1:30 da madrugada, estou devidamente acomodado e dormindo o sono dos justos quando meu celular começa a tocar desesperadamente. No quarto toque, eu já p*** da vida com o desalmado que estaria me ligando a tal hora, pego no celular e vejo que é o meu amigo coconauta Juan Castro. Nesse momento, já atendo o telefone preparado para dar uma voadora via embratel no indivíduo, porém ele não me dá nem tempo de falar e GRITA: TEM UM CODIMEX NO ML!!!
O meu cérebro assimilou isso de forma atordoante e eu saí correndo para ligar o computador e comprar. Deixo aqui meus agradecimentos ao meu amigo Juan por me avisar de tão precioso micro.

Por coincidência, esse Codimex chegou lá em casa no mesmo dia da chegada de outro Codimex, do amigo Luis Fernando Garcia, que enviou o seu micro para reparo.

Dois Codimex juntos. Taí outra cena rara!

Mãos a obra…

Aproveitando que eu tinha dois Codimex em mãos e visto que pouca ou nenhuma informação se tem sobre o mesmo, resolvi fazer este artigo cobrindo a reparação de ambos os micros.

Começamos então pelo micro do meu amigo de PoA, o Luis Garcia, no qual estava com vários reed switches do teclado devidamente mortos e o RF também só apresentava imagem em preto e branco e sem som.

Micro do Luis Garcia na mesa de operação. :-)

Imagem no RF só em B&W e sem som.

Placa do Codimex. Pela disposição dos componentes, percebe-se que o esquema foi baseado na placa revisão “E” dos CoCo1 originais.

Essa é a placa versão 1.2 da Codimex.

Capacitores da fonte. Tem um de 10000uF que parece até uma granada de mão!

Ambos os micros vieram com esses 741 da Texas e que não funcionam com Drivewire. Os CP-400 também vinham com esses instalados e é por isso que o pessoal reclama que por vezes o DW não funciona com alguns deles.

Esse Codimex já veio com 64Kb (8 CIs 4164) , porém como a placa é baseada no esquema da placa revisão “E” da Tandy, apenas 32Kb ficam disponíveis para uso.

O motivo de não ter som. A bobina que deveria estar ali em L5 foi arrancada.

Tentei ainda ajustar o RF, porém sem muito sucesso. Continuava preto e branco.

O teclado estava com cerca de 15 reeds mortos. O antigo dono havia soldado um teclado auxiliar para usar as teclas mortas! Santa gambiarra Batman!

O teclado é o modelo CM-05 da Digiponto, conhecida fabricante de teclados profissionais da época.

 

Visto a situação do micro, vamos aos reparos e melhorias. :-)

Uma das trilhas do teclado estava interrompida e colocaram um fio de chuveiro para contornar. Retirei aquela porcaria e coloquei esse pequeno jump no lugar da parte defeituosa.

Nesta foto já trocado alguns reeds e a maior parte das gambiarras retiradas.

Tendo em vista que o RF estava morto mesmo, foi construída a plaquinha com circuito de video composto.

Aí já devidamente encaixada no micro.

O cristal original PAL-M também teve que ser trocado para o NTSC. Não daria para manter o cristal, pois o esquema de transcodificação do Codimex para PAL-M é feito depois que o sinal sai do modulador 1372.

Imagem já no video composto e colorida. Viva! :-)

Micro do Luis já completamente montado e pronto. :-)

 

Terminada a reforma do Codimex do Luis, vamos agora ao meu Codimex. :-)

 

Agora vamos ao P0rn do meu Codimex. :-)

Nr. de série 32/0077. Imagino que seja a septuagésima sétima unidade produzida do modelo de 32K.

Placa removida e tem bastante diferenças para a placa do outro Codimex.

Versão de placa 1.3, diferente da do Luis.

Pra começar essa parece mais caprichada em termos de acabamento. Colocaram um barra de pinos em 90º para a saída de slot ao invés de só soldar o flat diretamente na placa como no micro do Luis.

Pra começar essa placa já vem com jumpeamento para trocar o tipo de memórias utilizadas entre cis 4116 e 4164. Apesar de poder usar as 4164 completando 64Kb, apenas 32Kb ficam disponíveis para uso na máquina.

Aí esta, 32Kb devidamente instalados com 16 cis 4116 trepadinhos. :-)

 

Bom, visto a situação vamos as melhorias. :-)

Primeiramente, tive que deixar o micro usável realizando o mod abaixo para deixá-lo com 64Kb de RAM. Com 32Kb tem muita coisa que não roda, incluindo os OS-9 e alguns jogos como DragonFire, The Sailor (Popeye), Outhouse e outros.

Seguem os passos para expandir dos originais 32Kb para 64Kb (somente para modelos com placa revisão 1.3):

1) Primeiramente, se o micro ainda estiver utilizando memórias 4116, como no meu caso, deveremos primeiro colocar os jumpers nas posições corretas para instalar as memórias 4164. Jumper CN13 deverá estar fechado no pino a direita. Jumper CN14 deverá fechar o pino inferior. CN15 deverá estar fechado no pino superior. Com esses passos vc garante que o micro poderá usar as 4164 no lugar das 4116.

2) Agora, coloque o jumper CN16, existente entre as duas PIAs, fechado na parte superior. Ao lado direito da SAM (6883) existe o ponto R55, neste deverá ser colocado um resistor de 33R ou simplesmente fechado com um jump. Isso habilitará a seleção dos 32Kb no Codimex usando as 4164.

Agora vamos ao processo para habilitar os 64Kb:

3) Primeiramente, erga os pinos 4, 5 e 6 do CI U8 (74LS02), depois erga o pino 5 do CI U22 (74Ls138). Os CIs nesse micro são todos soquetados, logo levantar esses pinos não deve ser problema.

4) Agora, solde o pino 4 do U8 com o pino 5 do U22. Depois solde o pino 6 de U8 com o pino 8 do mesmo integrado. Na sequência, solde um fio do pino 5 do U8 até o ponto de teste P9 que fica a direita do processador 6809. Este ponto de teste liga diretamente ao pino 32 da CPU. Para melhor conferência, vai o esquema abaixo.

Codimex - 32K para 64K

Olha aí toda a modificação completada. Essa tive que procurar nos pergaminhos esquecidos do conhecimento CoCoísta. :-)

Agora sim, 64Kb na cabeça! :-D

Aproveitando, troquei logo o 741 da Texas por um CA3140. Agora já posso usar o Drivewire em velocidade de CoCo2. :-)

Por falar em porta serial a Codimex resolveu adotar um plugue DIN5 para a porta serial de seu micro, diferentemente do que foi feito pela LZ no Color 64 e pela Prológica no CP-400 e que utilizavam o plugue DIN4 no mesmo padrão usado pela Tandy nos CoCos. Abaixo segue a pinagem da serial do Codimex.

Codimex Serial DIN5

Pinagem do conector serial do Codimex

Outra plaquinha de video composto pronta e já instalada.

Esse teclado teve 20 reeds trocados!

Todos os capacitores trocados, incluindo os grandões da fonte. Como não existe mais para venda eletrolítico axial dos grandes, tive que adaptar um radial para o papel. :-)

Instalado um jack P2 fêmea para saída de audio, através da grelha de ventilação por baixo da máquina. Ou vocês acham que eu iria furar o gabinete de um Codimex? :-)

Olha aí a criança já limpa e pronta para uso. :-D

Agora sim, DragonFire! :-D

E como não podia deixar de ser, Outhouse! :-)

 

Conclusão…

Após essa “esmiuçada” em ambos os Codimex, posso afirmar que claramente se trata de um produto profissional para época. Placa de excelente qualidade, gabinete de fibra robusto capaz de aguentar qualquer tipo de punição e completando, o teclado Digiponto que é referência e foi também utilizado em outro Color já visto aqui, o LZ Color 64.

O único ponto “negativo”, se é que pode ser chamado assim, é ser expansível somente até 32Kb.  Tendo em vista que os CoCo2 só começaram a sair em meados de 83 e sendo o projeto do Codimex de meados de 82, explica-se assim eles terem pego o esquema do CoCo1 rev. “E” para clonar. Contudo, não sei dizer se a Codimex chegou a fabricar outra revisão de placa onde seria possível expandir até 64Kb.

No mais, trata-se de um clone do CoCo1 que traz todo o funcionamento do original da Tandy, porém num tratamento bem mais profissional.

Resultado da brincadeira. Todos os componentes que foram trocados nos dois micros.

 

EDIT:  Ficou faltando as ROMs que eu já havia extraído de ambos os micros, e sim, elas são diferentes (mesmo que só no label). O Color BASIC do Codimex é Color BASIC 1.1 da Tandy, e o Extended BASIC é a versão 1.0 da Tandy.

Codimex ROMs

Para quem ainda tem curiosidade, aqui seguem todas as fotos do meu álbum no Picasa.

Espero que tenham gostado do artigo e até a próxima!

Abs,
Daniel

Esta entrada foi publicada em TRS Color com as tags , . ligação permanente.

14 Respostas a Codimex CD-6809: A tríade agora está completa!

  1. Rilker Frota Cavalcante diz:

    Parabéns Daniel pela matéria de altissimo nível. Mais informações para a historia da tecnologia nacional.

  2. Como sempre, ótimo!
    Saca demais;
    Coleciona hardware, mas não deixa pegando poeira;
    É gamer e não acumulador nato.
    Tu é o cara Daniel! Se diverte com o melhor dos dois mundos.

  3. Luciano Scharf diz:

    Excelente artigo. Um trabalho primoroso. Parabéns.

  4. Fantástico artigo, meus parabéns!

  5. Carlos Bragatto diz:

    Bacana demais, Daniel !

  6. David diz:

    Parabéns pela coleção E pelo artigo ! Abs David

  7. Stefano Spalding Baron diz:

    Imcrível! Que coleção estupenda! Mereces! Conheces como poucos esta plataforma.
    Parabéns!!!!!! Grande abraço!

Os comentários estão fechados